Sair de uma consulta médica com a percepção de que o tempo não foi aproveitado devidamente, frustrado ou apressado não é incomum. Uma consulta satisfatória depende de confiança e honestidade, o que pode ser mais fácil de conseguir com seu médico do que você imagina.

1. Cuidado com o “Dr. Google”
Ao invés de passar horas na internet pesquisando seus sintomas, escreva-os e leve ao médico. Muitas informações encontradas online podem atrapalhar sua consulta ao invés de ajudá-la. O paciente passa muito mais tempo conferindo o que o médico disse com o que leu na internet. Esse tempo deve ser gasto em conversar e esclarecer o máximo de informação possível. Se você tem algum medo ou insegurança, converse sobre eles com seu médico e não com o teclado do computador, ou pior, em fóruns online.

2. A hora de falar é agora
“O que te traz aqui?” e “o que você está sentindo?”: as duas perguntas que costumam iniciar qualquer consulta médica. Pode parecer simples de responder, mas se antes de chegar lá você já passou na triagem com outros profissionais, algumas informações podem acabar esquecidas. Por isso, a dica de anotar o que você sente e/ou gostaria de perguntar e contar é muito prática. Não deixe nada passar. O médico não consegue adivinhar sintomas, mas pode ver mais longe do que você imagina quando você deixa sua situação o mais clara possível.

3. Pequenos gestos
Especialmente em situações de internação ou acompanhamento longo, o relacionamento estabelecido com seu médico é orgânico, ou seja, não irá melhorar sozinho, mas pode piorar muito se ignorado. Sim, o médico é profissional, mas não se esqueça que por trás disso há uma pessoa como qualquer outra, que também se esquece, fica cansado e comete erros. Pequenos gestos podem fazer grandes diferenças.

 

Deixe um comentário (*campo obrigatório)